Thursday, December 05, 2013

GUY BOURDIN RETROSPEKTIVE.



Fotografia de Guy Bourdin para a campanha da marca de sapatos Charles Jourdan (1979) no cartaz da retrospectiva patente na Haus der Photographie da Deichtorhallen de Hamburgo.

Uma rua por descobrir em Hamburgo a caminho de um almoço tardio no Schönes Leben (link) convidava a um desvio ao programa. Um gigantesco outdoor colocado junto à Deichtorhallen - Haus der Photographie anunciava a exposição restrospectiva sobre o trabalho do fotógrafo francês Guy Bourdin. Perante tamanha provocação, a imagem de uma das muitas campanhas que Bourdin fotografou para a marca de sapatos Charles Jourdan (ver acima), era difícil recusar o convite.

"Guy Bourdin is not a fashion photographer", lê-se numa das paredes da exposição. A afirmação é de Samuel Bourdin, filho do falecido fotógrafo, e parece encerrar uma contradição. Afinal, Guy Bourdin colaborou intensivamente com a Vogue Paris e o imaginário das campanhas que fotografou para Charles Jourdan nas décadas de 60 e 70 colocam o seu nome a par de outros nomes importantes da fotografia de moda da época. Falo de Helmut Newton, Deborah Turbeville, William Klein, que merecem também destaque na exposição (link).

Mas talvez Samuel Bourdin não esteja longe da verdade. Guy Bourdin não foi apenas um fotógrafo de moda. Parte de uma narrativa complexa, a fotografia de Bourdin é simultaneamente provocadora e chocante, mas também surrealista, misteriosa e, por vezes, muitas vezes, carregada de sexualidade. Deambulando pelos corredores da Haus der Photographie, depressa se entende que, perante essa narrativa, a moda e os objectos que a compõem são relegados para segundo plano.

Na exposição, onde também há espaço para mostrar o trabalho de Guy Bourdin como pintor e uma série de retratos e fotografias a preto e branco de Paris, a cidade onde nasceu e acabou por morrer, as suas notas e polaroids revelam um homem profundamente exigente, consigo e com aqueles que o rodeiam, envolto na busca exaustiva do momento perfeito e atormentado pelos seus próprios demónios (Bourdin foi abandonado pela mãe e consta-se que a sua mulher se tenha suicidado). Durante toda a sua vida, Guy Bourdin rejeitou fazer parte do star system instalado e esta exposição acaba por ir contra os ideais do homem que um dia desejou que toda a sua obra fosse destruída após a sua morte.


Guy Bourdin Retrospektive 
Haus der Photographie Deichtorhallen Hamburg
1 de Novembro de 2013 - 26 de Janeiro de 2014
Terça a domingo 11 - 18 horas. 
Informação sobre o preço dos bilhetes (link).

ph// LX STATE OF FASHION



Fotografia de Guy Bourdin para a Vogue Paris (1975).













































Fotografia de Guy Bourdin para a Vogue Paris (1975).


BÓNUS Fotografia de Helmut Newton para a Vogue Paris (1975).

No comments:

Post a Comment