Friday, November 15, 2013

DESIGNER SPOTLIGHT: ANTHONY VACCARELLO.

Anthony Vaccarello fotografado por Robbie Fimmano para a revista Interview (link).

Gala do MET, 6 de Maio de 2012. Anja Rubik, a top polaca que é também editor-in-chief da revista 25 e que pode e deve ser seguida no Instagram (@anja_rubik), chega acompanhada por Anthony Vaccarello (@anthony_vaccarello) ao Metropolitan Museum of Art. O seu vestido, uma criação do designer belga, reacendeu nos dias que se seguiram à gala o debate em torno da magreza excessiva das modelos. Quer se concorde ou não, esse momento catapultou o nome de Vaccarello para o palco principal do circo da moda. 


Anthony Vaccarello nasceu em Bruxelas a 4 de Setembro de 1982. Estudou na prestigiada escola belga La Cambre e, em 2006, a vitória no festival Hyères valeu-lhe um estágio de dois anos na Fendi. Vaccarello é, como o próprio confessou em entrevista à revista Interview (link), "half Italian and half Belgian", uma dualidade de imediato decifrável na estética da marca que fundou em 2008, quando decidiu trocar Roma por Paris. As suas criações afastam-no muitas vezes do rigor da estética belga, em detrimento de uma sensualidade que é sua imagem de marca, e aí sim, Vaccarello é verdadeiramente italiano. Mas há também uma atenção à construção e ao corte verdadeiramente belga. 

A sua colecção para a primavera 2014, cujo desfile Anja Rubik abriu, é prova dessa dualidade e coroa Vaccarello como detentor máximo da capacidade de tornar sexy tudo o que cria. A sua mulher é sexy, cosmopolita, confiante e destemida, mas também detentora de um corpo perfeito. Não causa por isso surpresa o facto de muitas angels da Victoria's Secret terem escolhido vestidos desta e da anterior colecção para marcar presenta na after party do desfile anual da marca de lingerie. Nicole Phelps do STYLEDOTCOM (link) alerta para o perigo de Anthony Vaccarello criar roupas para uma minoria reduzida, uma minoria da qual eu não me importaria de fazer parte para poder usar e abusar de mini-saias e camisas clássicas, uma combinação que Vaccarello provou ser bem sucedida nesta sua última colecção.

No currículo, Anthony Vaccarello conta com colecções desenvolvidas para a gigante da venda por catálogo La Redoute e a mais importante distinção em território francês para a moda, um prémio ANDAM. E como em equipa que é bem sucedida não se mexe, Anja Rubik voltou a escolher um vestido com assinatura de Vaccarello para a gala MET deste ano, menos controverso, mas irremediavelmente sexy.







Os bastidores do desfile Anthony Vaccarello primavera 2014 por Kevin Tachman para o website VOGUE.COM (link).


2 comments:

  1. Não sou a maior fã do trabalho deste senhor, acho que a coisa tende a escorregar rapidamente para o vulgar, especialmente porque apenas "meia duzia" de mulher o vai conseguir vestir com classe, o resto vai ser uma tarefa perigosa!

    ReplyDelete
  2. Tenho de concordar em parte com o que escreve a Lola. Há peças que, de facto, tendem 'a escorregar rapidamente para o vulgar'. E isto, na minha opinião, vale para a colecção para a Primavera 2014 e também para as anteriores.

    Carmen

    ReplyDelete