Tuesday, September 13, 2011

THE THING ABOUT FIRST IMPRESSIONS (PART ONE).



Sobre a NYFW... 


Falta-lhe o dramatismo e tradição parisiense, talvez um pouco do va va va voom italiano não fizesse mal a alguns designers americanos - mas na medida certa, porque a vida não é um desfile Versace - e, não nos esqueçamos  da coolness made in London. Ok, risquemos a coolness, porque Alexander Wang e as duplas Rag & Bone e Proenza Schouler têm contribuído para esse departamento.

Mas de facto, há 10 anos atrás, enquanto folheava as páginas da Vogue, o sportswear tipicamente americano não provocava em mim qualquer reacção. Hoje, uma década depois, mantenho algum desse preconceito. O calendário da NYFW continua a sr pautado por muitos designers de segunda liga - Lela Rose, Jill Stuart, Rebecca Taylor, just to name a few - mas há uma corrente de mudança. Or maybe it's just me, que me sinto mais próxima da estética americana do que nunca. 

Qualquer que seja a explicação, deixo-vos com o melhor dos primeiros dias da primeira grande semana da Moda para a temporada Spring 2012.


Alexander Wang. There's this thing about Wang... as suas colecções Fall são sempre infinitamente superiores às colecções Spring. A Primavera parece ter um efeito quase tranquilizante sobre o enfant terrible. A pegada sportswear mantém-se - diz-se que a inspiração, desta feita, veio das corridas NASCAR - mas perde-se a grungieness que nos faz esperar cada colecção Wang com tremenda excitação. Claro que esta colecção não é um flop - a da temporada Spring 2011, essa sim o foi - apenas não é a minha colecção preferida de Wang e com ele as expectativas são sempre altas. Demasiado altas.


Duas coisas que adorei neste desfile: os sapatos - not the white ones - e o regresso de Frankie Ryder e Liya Kebede às passerelles

Lacoste. «The new guy brought up the sex. Lacoste turned sleek, chic, and urban (...)», escreve Tim Blanks na review publicada no STYLE.COM. E, aqui no LX, não podíamos estar mais de acordo. A mulher Lacoste por FOB é uma mulher up to tempo, com as suas calças baggy - but not too baggy - maxi clutch, um par de strappy sandals e aquele allure parisiense, quase a lembrar a Céline de Philo, mas ainda assim muito Oliveira Baptista. Claro que também houve lugar para a releitura dos típicos polos Lacoste, mas numa interpretação mais city e não country club.

Peter Som. A temporada Spring 2012 traz-nos um Peter Som electrizante, com um pé nos sixties e um uso tecnológico dos estampados - can we talk about those pants?. Perfusões inusitadas de prints, cores e materiais e mais uma página escrita no capítulo das tigh high splits. Amén à Charlotte Olympia, uma favorita aqui do burgo, por proporcionar os adoráveis e cuncky loafers.   


Royal blue e amarelo? A minha conjugação preferida de cores, desde que pus os meus olhos e mãos numa paleta de sombras YSL Summer 2011, lembram-se?

Prabal Gurung. O it designer do momento, escolha número 1 de Sarah Jessica Parker, volta a dar que falar. Depois de uma colecção com um esquema cromático que apenas resulta num Louboutin, arrisca sair, ainda que por breves momentos, da sua zona de conforto. Prints gráficos que, num micro-segundo - um micro-segundo apenas, Miuccia - me recordam uma colecção Prada de há algumas estações atrás. Tonalidades de roxo e malva asseguram a delicadeza de uma colecção que vale, sobretudo, pelos coordenados e não pelos vestidos (o ganha-pão de Gurung). 

Rag & Bone. Taylor Tomasi Hill e Chistine Centenera, watch out! David Neville e Marcus Wainright apresentaram-nos uma versão mais refinada da sua Rag & Bone. Há algo de quase editorialesco na colecção e, ao contrário de tantos desfiles desta edição da NYFW, o styling não podia estar mais no ponto do que isto. Claro que há um over layering, mas faz parte do espectáculo. Ainda não é desta que a dupla faz o pleno e eu consigo gostar de uma colecção from look 1 to look 35, mas estão no caminho certo.

Altuzarra /Derek Lam/ Christian Siriano/ Tommy Hilfiger/ Yigal Azrouel. Christian Siriano tem o nome -  em Moda, Christian é sempre um plus: Dior, Lacroix, etc. - a fierce persona e a vitória no Project Runway e, claro, não lhe podemos retirar o mérito de continuar a desfilar no palco principal da NYFW. But something is lacking e ainda não foi desta que Siriano a encontrou. A colecção tem bons momentos, o primeiro coordenado não podia ser mais comercial mas, lá para o fim do desfile, há alguns momentos Cavalli circa 2003. E isso nunca é um elogio.


Peter Som não foi o único a arriscar a combinação amarelo + royal blue. Yigal Azrouel seguiu-lhe as pisadas, numa colecção que só tem mais destaque pelo LX, pelo modo como os pumps pretos killed the styling. Fossem eles vertiginosos...


Menção honrosa para Altuzarra - is just me, ou estes dois looks gritam pela Columbine Smille? - Derek Lam e para Tommy Hilfiger que, apesar do seu estilo all things american, apresentou uma colecção pautada por momentos felizes.

13 comments:

  1. Sabes do que falas, excelente apanhado. Eu nunca tenho muita paciência para ver essas colecções todas do início ao fim por isso adorei ler-te de forma 'sinopsisada'. x)

    Os meus preferidos daí: Wang, Lacoste e Prabal Gurung. Concordo contigo, na parte da Columbine Smille, é a cara dela ! Aquelas flores ali fazem-me lembrar as frutas da Stella McCartney (que eu não gostava nada, mas enfim). :

    Beijinho : ) ***
    www.laissezmoi.blogspot.com

    ReplyDelete
  2. Peter Som amei, Alexander Wang e depois Lacoste que não desiludiu em nada!

    ReplyDelete
  3. Rag & Bone, Lacoste e A.Wang deixam-me com muitas certezas que quero ser inspirada por eles! Mas a mim falta-me preto em todos ... no fundo não consigo ser tão colour addicted (principalmente na Fall).
    Adorei este editorial ;)
    Beijo

    ReplyDelete
  4. @fastfashion.onlinestore Falta realmente preto (e eu só uso preto, cinza e branco) mas temos que agradecer o facto de ainda não se terem lembrado dos tons pastel. LOL

    ReplyDelete
  5. tou com rag & bone, mas o FOB surpreendeu, porque já nao transpira tanto golfe e elitismo.

    ReplyDelete
  6. Adorei o post, muito bem escrito :)

    ReplyDelete
  7. Era deste post que eu estava à espera!!! Acho uma graça à maneira como escreves! Não vale a pena! Sabes tudo, percebes de tudo! Gostei de Prabal e do FOB!! E de Wang! De resto... não é bem a minha onda, é muito mais a vossa!!

    Mas com este texto, quem é que quer olhar para as imagens?! E olha que isso nunca acontece!! :)

    ReplyDelete
  8. Gostei do post. :) Completo e bem redigido.

    ReplyDelete
  9. Sempre com posts excelentes !
    Óptimo sumario do que se tem passado !

    ReplyDelete
  10. escreves mta bem miúda!thanks pelo summary!*

    ReplyDelete
  11. Apesar de tudo o que referiste no início, acho que a moda americana tem um lado cool que adoro e está em verdadeiro crescimento!

    Alexander Wnag, Proenza Schouler e Prabal fazem-me delirar*

    ReplyDelete