Friday, October 29, 2010

WHEN SUPERMODELS RULED THE WORLD.


Christy, Nadja, Cindy, Stephanie e Claudia. Mas poderia ser Naomi, Amber, Linda, Elle ou qualquer outra. Juntas ou a título individual marcaram uma época, uma indústria e o mundo nunca mais voltou a ser o mesmo. The fashion world, at least.

Lembro-me de, em pequena, brincar às modelos com uma prima minha. Desfilávamos, ao típico estilo dos anos 90, com uma roda pelo meio e com mãos na cintura na pose para os fotógrafos - o que, no nosso caso, deveria ser uma parede com posters dos Backstreet Boys ou das Spice Girls. A minha prima fazia de Cindy, ou como lhe chamavam os nossos pais Cindy Bedford - a fazer lembrar a velha marca de carrinhas. E eu, longe de ser loira, era a Claudia, Claudia Schauffeur - não se preocupem se não perceberam as analogias, sinceramente, quem me dera perceber. E descansem as hostes fashionistas, porque isto não será a história da minha infância. 

Mas, se em plena década de 90, sabíamos quem era a Cindy e a Claudia, experimentem perguntar a uma qualquer criança que modelos conhece e, se responderem Giselle ou Heidi Klum, estão em dia de sorte. Porque nos dias que correm, ser supermodelo é sinónimo de ser uma modelo Victoria's Secret. E não é que a Claudia Schiffer não tenha sido uma VS Angel, mas fazia-lo ao mesmo tempo que desfilava Chanel, Saint Laurent ou Versace - supermodels loved Gianni Versace.

Há medida que as supermodelos envelheceram, a obsessão do mundo da Moda pelo imediato agravou-se. As colecções resort e pre-fall foram adicionadas ao calendário oficial de desfiles, a Haute Couture tornou-se teimosia das maisons mais antigas e as modelos, essas são as raparigas da estação no Outono, para caírem no esquecimento na estação seguinte. Há excepções? Claro que sim. Mas um grupo de modelos como Claudia, Cindy, Nadja, Christy ou Stephanie algum dia se repetirá? 

God bless Kate Moss e Giselle Bundchen! Será que daqui a uma década nos lembraremos da Natasha, da Karlie, da Abbey, da Chanel and the list goes on and on? Lembro-me da Eugenia (Volodina), da Natasha (Vojnovic), da Liya (Kebede), mas ao resto do mundo passaram indiferentes. Sim, porque nós fashion little monters não contamos para as estatísticas.

Ah, obrigada a todas e ao Artur, que penso que tenha sido o único homem a dar o seu contributo, pelos comentários ao post anterior! Estou em choque com a quantidade de comentários que recebi! Love you all, os que comentam e os lêem anonimamente o LX.


14 comments:

  1. esta crise confima-se e não só na moda. na cultura contemporânea em geral. designers, modelos, músicos, artistas .. são a obsessão do momento, mas será que serão lembrados no futuro ?

    ReplyDelete
  2. Pois, hoje em dia, as supermodelos (se é que estas ainda existem), são cada vez menos e têm cada vez menos um status de celebridade. Eu não fico chateado com isso. Gosto quando as coisas não são demasiado "mainstream", gosto do facto de a maioria das pessoas que conheço não fazerem ideia de quem é a Natasha Poly ou a Freja Beha. lol

    Talvez por não ter estado atento ao mundo da moda nos anos 90 (era uma criança!), não sinto qualquer nostalgia, em relação às supermodelos desse tempo.

    Apesar de não serem conhecidas fora do mundo da moda, considero a Natalia Vodianova e a Daria Werbowy as supermodelos da última década.
    E penso que a Lara Stone, a Natasha, a Freja e a Abbey vão ser as próximas.

    ReplyDelete
  3. Great post! (:


    As supermodelos foram substituídas, a nível de fashion popularity, pelas it girls! Se tiverem sorte, uma modelo é uma it girl fora de passerele (Gisele, Kate, Natalia, entre outras que não sei os nomes) e pronto tornam-se conhecidas! Mas a verdade é que está tudo mais preocupado com quem está a ver o desfile do que com quem está a desfilar! :P


    Beijo

    ReplyDelete
  4. eu também adorei, escreves mesmo super bem!

    ReplyDelete
  5. é msm vdd...td a gente sabe quem é a Cindy e a Claudia...até o meu pai!!lol

    hj em dia, td é fast...fast food, fast fashion...há coisas boas neste fenómeno, mas tb há coisas q ficam pa trás e é pena, pq s perde mt ;)

    ReplyDelete
  6. Gostei muito deste post tb... De facto marcaram uma época e ninguém as esquece! :D

    ReplyDelete
  7. Boa reflexão!!! A verdade é que vivemos no tal mundo do fast, ao qual nao sou critica (os tempos mudam e nao costumo ficar agarrada a tradicoes)! Estamos numa década onde tudo esta mais acessivel, e isso é bom - as oportunidades aumentam, reduzem-se os "grupos fechados" (uma blogger, um musico, uma modelo podem ter oportunidades inacreditaveis no sitio mais recondito do mundo)... Mas simultaneamente (e a meu ver o maior perigo) perde-se muitas vezes a verdadeira essencia das coisas - nada é suficiente, tudo é rapido e o que hoje é it amanha é out! Resta-nos acreditar que o que tem verdadeiramente valor perdura! ;)
    Adoro estes teus posts que me permitem duvagar um pouco ;)

    Beijo babe

    ReplyDelete
  8. There was a time! I actually miss seeing models on magazines.

    ReplyDelete
  9. Mlle,
    obrigada por me ter feito recordar os anos 90 e uma época que considero de ouro na moda mundial :)
    Bisou

    ReplyDelete
  10. nunca mais a ver uma era como essa.. :/ ***

    ReplyDelete
  11. Elas são inesquecíveis e merecem o título.

    ReplyDelete
  12. Adorei. Tens tanta razão. Eu era sempre a Ellen McPherson. Adorava-a. Hoje em dia, as supermodelos são tão efémeras como quase tudo o que nos rodeia.

    ReplyDelete